Escola sem partido

Escola sem partido

Escola sem Partido isso é tão básico que não precisaria ser dito ou lembrado, não é mesmo? Muitas vezes as opiniões, as convicções morais, políticas, ideológicas ou religiosas do aluno serão diferentes do professor e isso significa que ele será respeitado e não prejudicado ou constrangido. Aliás, opiniões e convicções diferentes trazem enriquecimento ao ambiente escolar, permitindo construção de conceitos através de várias percepções diferentes. O que o Projeto “Escola Sem Partido” garante é que o aluno não será prejudicado por pensar diferente. Infelizmente, algumas vezes vemos isso acontecendo. E antes que os bons professores “dêem o grito” já vou logo dizendo. Se essa não é a postura de vocês, não há o que temer. Apenas continuem lecionando como sempre e fazendo com que um ambiente de múltiplas ideias seja também um ambiente de respeito, inclusive do professor.

Muito se teme e se fala do “Projeto Escola Sem Partido” e na maioria das vezes sem conhecimento do que realmente é. A frase acima é tão óbvia que chega a soar ridícula, não é mesmo? Mas ela é simplesmente uma forma simplificada de uma das afirmações do “Projeto Escola sem Partido”, que diz que o professor, não pode usar a “audiência cativa dos alunos”, ou seja, o horário de aula, que os alunos tem que responder presença, para promover seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias. Horário de aula tem que ser usado para o ensino da matéria ( português, matemática, história, geografia e etc) e seus conteúdos, já estipulados e determinados pela base curricular. Qual a dificuldade nisso? Não é para isso que o professor é contratado? Não é para isso que investiu em sua formação e capacitação? Por que ele se ofende tanto com o “Escola sem Partido”? O que você acha?

O SINPRO (Sindicato dos Professores de MG) está morrendo de medo de perder a sua dominação e os seus privilégios e enviou ontem, a todos os professores sindicalizados um e-mail comparando as propostas dos Candidatos Haddad e Bolsonaro, em relação à Educação. Mas fez questão de deturpar as propostas do Bolsonaro, fazendo ele parecer um perseguidor de professores. Veja só o que eles escreveram em relação ao Projeto “Escola sem Partido” :


Lei da Mordaça? Perseguição de professores? Ridículo esse desserviço desse Sindicato a serviço da esquerda. Professor que não deve, não teme. Professor que ensina, não teme. E tenho certeza que tem muito professor que não concorda com isso. Quem tem medo do “Escola sem Partido” não é professor, é militante! Simples assim. “ Escola sem Partido”, já!

2019-02-05T15:48:34-03:00 5, fevereiro, 2019|